Livro analisa o desenvolvimento de carreira e liderança

 

João Mello

 

Debruçando-se sobre a premissa de que situações de incerteza, ou de falta de consenso, são cada vez mais comuns nas organizações é que se concebeu o livro "Carreira e Liderança: Fronteiras Móveis entre o Indivíduo e a Organização". O lançamento online da obra, realizado no último dia 15, contou com a presença de seus autores: os professores Joel Dutra (FEAUSP), Elza Veloso (FIA Bussiness School e Mackenzie) e Leonardo Trevisan (PUC-SP e ESPM). 

 

As "Fronteiras Móveis", as quais o título do livro faz referência, são ponto central no trabalho e se referem à linha tênue que se impõe hoje sobre os indivíduos que os fazem ter dificuldade em distinguir vida pessoal e profissional, espaço privado e de trabalho ou tarefas pessoais e organizacionais. O crescente uso da tecnologia e sua evolução são fatores fundamentais para essa dificuldade e também a maior incerteza para definir rumos de carreira atualmente. 

 

Os capítulos do livro surgiram a partir de discussões em um grupo de pesquisa formado por professores universitários e por profissionais de mercado. Os autores buscam responder a perguntas como: "Como conviver com a incessante onda de mudança que se apresenta atualmente? Como pensar em construção, ou em movimento de carreira, com tamanha oscilação? E, como liderar, como convencer, como comprometer?". Eles o fazem sempre a partir da perspectiva de mudanças constantes trazidas pela tecnologia.

 

"Como vamos fazer um livro sobre plano de carreira se isso muda toda hora e não há consenso algum?", pergunta-se Trevisan ao contar sobre o processo de criação de de "Carreira e Liderança". Ele argumenta, entretanto, que o mercado vive em um constante ciclo de inovações, não muito diferente desse trazido pela "Revolução dos Dados". "Isso não nos assusta, esteve sempre no mundo dos negócios". 

 

Não há mais a espera do cliente, ele já conhece as lojas e os produtos que quer consumir previamente a partir das redes sociais. O machine learning permite que a máquina aprenda, capte tendências e mude tendências do mercado de trabalho. A "internet das coisas" faz com que a sociedade esteja conectada a todo instante e diversos aparelhos, antes "analógicos", contam hoje com conectividade. 

 

"A revolução dos dados vai mudar extremamente tudo", continua Trevisan, argumentando que serão trazidas três mudanças básicas por esse cenário. Uma primeira, operacional, se refere ao aumento intenso da velocidade de processamento de dados, especialmente incrementada pelo advento da internet 5G. Uma mudança estrutural fará com que várias empresas, como a IBM já fez, fechem unidades físicas e passem a contratar mais profissionais de dados. A terceira mudança, no valor, faz com que empresas que trabalhem com dados se valorizem no mercado, como ocorreu recentemente com a Magazine Luiza.

 

O professor Joel Dutra aponta sobre como lideranças brasileiras têm grandes problemas na parte comportamental e está despreparada para lidar com esse novo cenário. Ele traça um cenário no qual os líderes de corporações do Brasil possuem dificuldade em lidar com diversidade e gostam de trabalhar de forma fechada, em feudos. "Novas tecnologias exigem cooperação", reflete Dutra. 

 

Posições, espaços, fatores de influência e negociação mudaram dentro das empresas e estão submetidas a dinâmica dos dados. Por conta da conectividade e do teletrabalho, o profissional se vê em uma situação na qual precisa se atualizar e onde dados e conexão contam para as decisões de carreira. "Carreira e Liderança: Fronteiras Móveis entre o Indivíduo e a Organização" está justamente para tranquilizar esses profissionais e oferecer saídas e estratégias para investir na carreira em meio a este novo ciclo de inovações destruidor do anterior. O livro pode ser adquirido aqui. 







 

    

Data do Conteúdo: 
domingo, 25 Outubro, 2020

Departamento:

Sugira uma notícia