Cursos abertos da pós-graduação da FEA geram benefício social

 

João Mello

 

A pandemia do novo coronavírus impôs uma nova realidade para a USP: professores tiveram que adaptar suas atividades para funcionarem de maneira remota. Diante das novas oportunidades abertas por essa forma de ensino, o Programa de Pós-Graduação (PPG) em Economia da FEA decidiu abrir alguns cursos para comunidade externa à USP. 

 

A ideia é permitir que professores e alunos de pós-graduação de outras instituições tenham a oportunidade de participar de atividades de ensino e usufruir da infraestrutura e logística da Universidade. Em um espírito de "solidariedade interinstitucional", os alunos da FEA poderão interagir com pesquisadores de outras universidades e ampliar redes de colaboração. 

 

No estudo "Impacto Social da Iniciativa da Pós-Graduação em Economia da FEA-USP de Ampliação da Oferta de Disciplinas para Público Externo", os professores Eduardo Haddad, Fernando Perobelli e Inácio Araújo mensuraram o benefício social gerado pelo oferecimento ao público externo das disciplinas EAE6061/EAE6062 (Modelos Aplicados de Equilíbrio Geral I e II). Os pesquisadores fizeram comparações com preços e carga horária para cursos de modelagem econômica multissetorial (modelos de insumo-produto e modelos de equilíbrio geral computável) praticados por redes consolidadas em todo o mundo.

 

O estudo estimou um benefício social de R$ 2,27 milhões. Ou seja, esse é o valor total que pesquisadores de outras instituições de ensino e pesquisa poderiam ter gasto para se aprimorar em cursos semelhantes a esses oferecidos gratuitamente pelo Departamento de Economia. Além dos dois cursos, lecionados pelo professor Haddad, também foram oferecidos Economia do Meio Ambiente (Prof. Ariaster Chimeli), Economia Política: Teoria e Evidências I e II (Prof. Raphael Corbi), Políticas Públicas: Avaliação e Evidências I e II (Profª. Maria Dolores e Profª. Paula Pereda). 

 

 

 

Data do Conteúdo: 
terça-feira, 20 Outubro, 2020

Departamento:

Sugira uma notícia